Receba nossa newsletter por e-mail
Receba as principais informações publicadas no portal.
Assinantes contam com conteúdo exclusivo
 

#PLAYSTATIONLOWERPRICES

Comunidade gamer se revolta contra preços de Playstation no Brasil

Aumento de preços dos games e serviços da Sony gerou frisson nas redes sociais e provou, mais uma vez, que jogar videogame no país ainda é para elite
Aumento de preços dos games e serviços da Sony gerou frisson nas redes sociais e provou que jogar videogame no País ainda é para elite

Foto: Reprodução/Twitter

Foi em 26 de outubro de 2020 que a comunidade gamer ficou alvoraçada por conta de um tweet do presidente Jair Bolsonaro. Com uma foto que o mostrava usando o Playstation VR e se divertindo num jogo de tiro, Bolsonaro anunciava a redução de 40% para 30% no IPI nos consoles comercializados aqui no Brasil. Foram mais de 46,5 mil curtidas, nove mil compartilhamentos e um frisson absurdo na época.  

Bem, não foi preciso nem um ano para entender como aquela medida de Bolsonaro foi extremamente populista e apenas para engajar suas redes sociais. Hoje, a realidade é que comprar videogames e jogos no Brasil é extremamente caro. Na semana passada, a Sony entrou numa polêmica forte nas redes sociais aqui do Brasil quando anunciou o aumento de preços, tanto de jogos e também no serviço conhecido como Playstation Plus, que permite que os gamers possam jogar online e também receber dois games “gratuitos” mensalmente. A revolta foi grande e as hashtags #playstationlowerprices e #jogartemlimites se mantiveram no trending topics por diversos dias.     

Em resposta ao Portal Futurista, a assessoria de imprensa de Playstation no Brasil se limitou dizer que “O reajuste nos preços de alguns jogos na PS Store está alinhado à nossa constante avaliação das condições de mercado”. “Nossa prioridade é oferecer as melhores experiências, com máxima qualidade para atender às expectativas dos usuários”, finalizou.  

Apesar da nota da Sony ser um tanto genérica, de fato as condições do mercado brasileiro – com a alta absurda do dólar, por exemplo – tem pesado muito os preços aqui no país, e não há medida populista do governo que resolva a situação. Não apenas a Sony, mas também a Microsoft e a Nintendo têm dificuldades extremas de manter bons preços por aqui. Os números compilados no tweet abaixo mostram como consumir videogames no Brasil ainda é para a elite.  

O Portal Futurista vai seguir acompanhando o movimento dos preços dos videogames, serviços e jogos oferecidos pelas principais empresas aqui no Brasil e sempre trará novidades quando houver incremento ou decréscimo nos valores. 

LEIA TAMBÉM:

Burocracia afasta publishers estrangeiras

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONFIRA TAMBÉM

Acesse sua conta